Patinetes e sustentabilidade

Prefiro ir de bicicleta, mas eu tenho um patinete desde 2014. Comprei no Brasil, numa loja de artigos esportivos. Esse patinete (foto abaixo) é movido a feijão com arroz, não tem bateria elétrica, não tem motor, eu mesmo produzo a energia que ele precisa para se movimentar

Eu uso patinete mas prefiro ir de bicicleta. O que eu gosto no patinete é o jeito prático para transportar dentro do ônibus, do metrô, coisa que nem sempre é possível com a bicicleta. Nas cidades, o patinete é muito eficiente quando combinado com o transporte público ou para percorrer distâncias curtas, como sair do escritório e para ir almoçar.

Foto: Renan Braga. Praça Tiradentes, Rio de Janeiro, 2014.

Hoje o jornal El País publicou sobre um estudo no qual os pesquisadores calcularam as emissões de CO2 utilizadas para fabricar, enviar, carregar e transportar – dentro da cidade – e descobriram que os patinetes elétricos poluem mais do que um ônibus público com passageiros a bordo, um ciclomotor elétrico, uma bicicleta elétrica e uma bicicleta normal. O estudo foi realizado pela Universidade da Carolina do Norte e foi publicado pela revista Environmental Research Letters. 

Sim, eu prefiro ir de bicicleta e tenho muitas razões para fazer isso. Mas se tiver que ir de patinete, vou usando a minha própria energia. Bora?